terça-feira, julho 19, 2011

....Tear uma novidade antiga que está voltando com tudo!!!

Uma breve história do tear.

A história da tecelagem é milenar e caminha paralelamente à evolução da humanidade, pois o homem tem a necessidade de se agasalhar, de se proteger e de se expressar através de suas vestimentas. Os primeiros tecidos para que o homem pudesse se proteger das intempéries da natureza, foram as peles de animais, com as quais eram confeccionadas tanto os abrigos como as vestimentas, porém as peles se ressecavam e se deterioravam com o passar do tempo, o que acabava sendo um problema para o uso como vestimentas, pois limitava os movimentos e se tornavam um empecilho às viagens empreendidas para a mudança de área de caça, sendo que os primeiros homens certamente eram nômades já que para sobreviver precisavam caçar animais para se alimentar e se vestir. Com o passar do tempo o homem foi se enraizando nos locais onde havia maior possibilidade de subsistência devido as condições naturais, como água, alimentação, proteção das intempéries, etc., o que possibilitou ao homem se tornar sedentário e aprender a cultivar a terra para a sua subsistência, e com a produção de alimentos vegetais surgiu também o uso de fibras, primeiramente para a produção de fios e cordas que eram necessárias para a construção de abrigos, de amarrios de ferramentas para cultivar o solo e outras necessidades. Isto possibilitou ao homem o aprendizado da produção de fibras vegetais e o seu manuseio, e vendo o homem que as fibras eram mais flexíveis que as peles de animais para a confecção de vestimentas, procurou construir ferramentas que o auxiliassem no manuseio e entrelaçamento das fibras para que se tornassem um tecido aproveitável. O primeiro tear que se tem conhecimento conforme desenho em cerâmica egípcia encontrada, era uma simples armação de galhos dispostos em quadro que sustentava as fibras em forma de urdume para que o tecido fosse tramado com as mãos.
Com o decorrer do tempo os teares foram sendo aprimorados de forma a tornar o trabalho mais produtivo e mais eficiente, e os avanços foram significativos, possibilitando uma enorme gama de possibilidades na confecção dos tecidos, pois o processo foi sendo automatizado de tal forma que nos dias de hoje, com o advento da industrialização temos teares motorizados que possibilitam a confecção de milhares de metros de tecidos por dia, suprindo a necessidade de vestimentas para toda a humanidade.
Os tecidos são fibras de algodão, de lã, de linho, ou outras fibras naturais ou sintéticas, fiadas e tingidas por processos manuais, que nos teares, de acordo com a criatividade do tecelão, se unem em cores e formas para formar um tecido útil e vistoso.
A tecelagem utilitária evoluiu na tecnologia e avançou na mecanização, enquanto que a de expressão procurou os caminhos naturais e se utiliza de teares manuais onde as tramas e as urdiduras se entrelaçam para dar forma ao pensamento e à intuição, produzindo tecidos de extrema beleza e durabilidade.
Saber tecer e tingir fios de fibras naturais são conhecimentos que se mantém a séculos e acompanham a humanidade desde sua origem. Por necessidade, a tecelagem firmou-se no Brasil Colônia, onde produzir tecidos para escravos e gente simples justificava o empreendimento. Houve tempo em que toda casa mineira tinha uma roda de fiar e um tear tosco de madeira. Fazia-se o fio e do tear saiam colchas e roupas para a família. Enquanto teciam, as mulheres iam nomeando suas tramas de acordo com o desenho: Daminha, Pilão, Escama, Dados, Sem Destino ou até mesmo com os nomes das artesãs que as criavam. Com as tramas nascia o pensamento abstrato e é por isto que, até hoje, tecer significa pensar. Suas técnicas consagradas pelo tempo não são restritivas, mas sim, abrem infinitas possibilidades de resultados, desafiando a criação.

Tear mecânico


Tear simples redondo...



2 comentários:

Anjo, deixe seu comentário..será lido com todo carinho!!!
Obrigada pela sua visitinha, seja bem vinda (o) todas as vezes que retornar!
Beijos na alma! ; )