quinta-feira, junho 02, 2011

Tenho Esperanca

Há, talvez, quem pense que eu esteja a esnobar ou assumindo alguma espécie de estrelismo, quando me refiro a mim, reconhecendo a minha própria desvalia.

Certa vez, alguém me disse: "Chico, você precisa parar de se comparar a um cisco: isto é exagero de sua parte ... Onde é que já se viu?!"

Lembro-me que respondi: "Eu não me comparo: eu sou um cisco!"

E agora com mais convicção, eis que lhes digo: Nem sequer um cisco fui ou sou...

O que posso fazer, se é assim que me sinto?

Que ninguém se sinta obrigado a nivelar-se a mim, que permaneço ao rés do chão.

Um dia, com certeza, o Senhor há de se compadecer de mim ...

Não é, no entanto, porque admita a minha insignificância, que vou me sentir impedido de trabalhar.

Tenho grande alegria em estar sendo utilizado como sou ...

Os Espíritos Amigos nunca me cobraram perfeição.

Durante mais de sete décadas, no labor da mediunidade, toleraram-me como eu era ...

Por que, sendo um traço de treva, eu haveria de querer a luz deles para mim?

Ninguém brilha com a luz dos outros.

Sou o que sou, mas tenho muita esperança de ser, um dia, o que o Senhor espera que eu seja!

Francisco Candido Xavier

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anjo, deixe seu comentário..será lido com todo carinho!!!
Obrigada pela sua visitinha, seja bem vinda (o) todas as vezes que retornar!
Beijos na alma! ; )